Olá! Você gostaria de receber as notificações desta loja?


X

Aviso Sobre Cookies:

Esse site utiliza cookies para personalizar anúncios e melhorar a sua experiência. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

BLOG

O que acontece com o corpo e cérebro da mulher no sexo 06/04/2020 08h00 | BY Bruno TMJ

157

Entender o que acontece com o corpo e cérebro no sexo é fundamental. Com conhecimento podemos ter um olhar mais compreensivo para problemas que possam ocorrer, melhorar o prazer e muito mais. Além disso, conhecimento nunca é demais. A mulher passa por mudanças e os cientistas dividem em quatro estágios.

  1. Excitação
  2. Platô
  3. Orgasmo
  4. Resolução

Cada tópico abaixo faz parte de um estágio e são fundamentais para o prazer da mulher no sexo.

Explosão de hormônios

Na hora do sexo, o cérebro é estimulado e o corpo é inundado por hormônios. Eles são os responsáveis pela euforia, afeto, pela sensação de bem-estar, excitação e felicidade. São eles adrenalina, dopamina e ocitocina.

A ocitocina é o responsável por criar laços, afeto e tornar tudo muito mais especial. Quando já existe amor tudo fica muito melhor.

A adrenalina acelera os batimentos cardíacos e a dopamina oferece prazer muito mais além do físico.

Aumento da circulação de sangue na vagina

No sexo, a circulação de sangue aumenta e isso causa um inchaço na vulva. Ela muda ligeiramente seu aspecto e até fica mais firme. Tudo para facilitar o prazer. Essa etapa é fundamental para estimular a lubrificação.

Seios incham

Segundo informações do Serviço de Saúde Britânico, os seios ficam cerca de 25% inchados e dão a sensação de ficarem maiores.

Aumento da pressão arterial

O aumento da circulação sanguínea causa um inchaço nas veias sanguíneas e algumas mulheres ficam coradas.

Função dos espasmos do orgasmo

Aqueles espasmos logo após o ápice do sexo com espaçamento de segundos tem uma função reprodutiva.

Claro, a intensidade vai depender do tipo de orgasmo, nível de excitação, entre outros. Eles servem para prender o esperma e aumentar as chances de fertilização.

Canal vaginal fica dilatado

Com a excitação, o corpo se prepara para receber o pênis. Por isso, fica mais largo momentaneamente para o sexo. Depois do orgasmo já volta ao normal rapidamente.

Zonas erógenas ficam mais sensíveis

Na fase de excitação, o toque fica muito mais prazeroso. Mamilos, orelhas, pescoço, vagina, clitóris e todas as zonas erógenas ficam sensíveis devido ao aumento de circulação sanguínea.


Relaxamento

Aquela sensação de relaxamento intenso após o orgasmo é causada pela liberação do hormônio prolactina que é liberado normalmente durante o sono.

Além disso, durante o ápice do prazer a musculatura enrijece e se contrai de forma involuntária, espasmos acontecem, o coração está a mil e a respiração ofegante.

No entanto, logo depois o corpo relaxa e isso pode dar uma sensação maior de relaxamento bem parecida com o sentido após um exercício aeróbico.

Conexão no orgasmo

O orgasmo é o responsável por liberar a ocitocina. Passar por esse prazer intenso pode fazer com que uma sensação de afeto inunde o corpo.

De repente, a mulher pode sentir uma conexão inexplicável mesmo em sexo casual. Por isso, depois que o sexo acaba, deitar e ficar agarrado é gostoso e mesmo se não houver laços é interessante aproveitar esse momento passageiro.

Aviso Sobre Cookies:

Esse site utiliza cookies para personalizar anúncios e melhorar a sua experiência. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.